Maus hábitos decorrentes do estresse potencializam os riscos de desenvolvimento de câncer de mama e de fígado, entre outros

Você se considera uma pessoa estressada? Raras são as pessoas que não se sentem irritados com alguma frequência. Os motivos para a alteração de humor são inúmeros: correria do dia a dia, trânsito, necessidade de tomar decisões imediatas, transporte público lotado, cobranças e autocobranças, são alguns exemplos. 

A preocupação com a saúde começa quando não se cria tempo para aliviar todas essas emoções. “Ouço de muitas pessoas que o maior desafio para elas se cuidarem é a falta de tempo”, conta Regina Chamon, responsável pelo serviço de Medicina Integrativa no Centro Paulista de Oncologia. 

“Quando não se gerencia toda essa demanda, o corpo tende a acelerar seu funcionamento e aqui começam os problemas. O corpo vai gastando seu estoque de energia ao mesmo tempo em que passamos a ter hábitos de vida menos saudáveis, pulando refeições e com alimentação rica em ultraprocessados, doces, gorduras, álcool e café”, destacou a especialista. 

O sono também fica prejudicado, como observa a médica: “Não dormimos horas suficientes para os processos internos do corpo se restabelecerem. Ou, apesar de dormirmos oito horas por noite, temos um sono não restaurador, de má qualidade”.

A partir desse estilo de vida que podem ser desencadeados gatilhos que levam ao surgimento de alguns tipos de câncer. Segundo a médica, não é o estresse o culpado, mas as consequências dele quando não se arruma um tempinho na agenda para os autocuidados.

Má alimentação x câncer

Um dos maiores riscos para o desenvolvimento de câncer quando se come alimentos ultraprocessados, gordurosos, ricos em açúcar refinado e pobres em vitaminas e nutrientes, é atrelado ao ganho acelerado de peso: a obesidade é causa de pelo menos 12 tipos de câncer, entre eles o de intestino, o de mama e o de pâncreas.

Saúde mental x câncer de mama

Doenças que têm entre suas causas o estresse e afetam a saúde mental, como depressão, ansiedade e síndrome do pânico, não são causadoras primárias de câncer de mama, mas podem levar a ele. A correlação é biológica, uma vez que elas tendem a causar a má síntese do estrogênio, e a alta concentração do hormônio no organismo é um dos fatores de risco para o câncer de mama.

Álcool x câncer

Para aliviar o estresse do dia a dia, não é raro que se recorra a uma ou algumas doses de álcool no fim do expediente. Se o consumo começar a ficar exagerado e até abusivo, pode se criar um risco elevado para o desenvolvimento de pelo menos sete tipos de câncer, entre eles o de boca, o de laringe e o de fígado.

Isso ocorre devido às interferências químicas do álcool no organismo (convertendo o álcool em acetaldeído, uma substância que prejudica as células, especialmente as do fígado, do intestino e da boca, e impede que elas se recuperem) e às alterações hormonais provocadas por ele (o álcool aumenta os níveis de estrogênio e insulina no corpo). 

Fonte