O sorvetinho nas versões de morango, chocolate e limão atuam como suplemento alimentar.

(FOTO: Divulgação)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Enjoos, tonturas, fraqueza e queda de cabelo são alguns dos efeitos colaterais da quimioterapia em seus pacientes. Outro efeito comum é a falta de apetite, agravada pelo surgimento de feridas na boca que dificultam a ingestão de alimentos. Sendo assim, esses efeitos poderão ser amenizados com um alimento delicioso: sorvete. A novidade foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina, em parceria com uma fábrica de Florianópolis.

A sobremesa foi servida a pacientes do Hospital Universitário UFSC durante o período de um ano e ao contrário dos sorvetes convencionais, este não contém a presença de lactose, nem glúten. Ele na verdade leva azeite de oliva desodorizado, whey protein isolado (proteína extraída do soro do leite, rica em aminoácidos e de fácil absorção) e fibra.

A aceitação e os resultados do teste foram positivos. “Foi uma surpresa maravilhosa, o sorvete é delicioso e ele minimiza os efeitos da quimioterapia”, disse Carol Gilda Martins, paciente da unidade hospitalar. Desde março, ela faz tratamento para um câncer linfático.

Raquel Kuerten de Salles, do Departamento de Nutrição da UFSC, é uma das nutricionistas responsáveis pela pesquisa. Por ser gelado, ela explica que o sorvete ajuda a anestesiar inflamações na cavidade bucal, as mucosites, ou os famosos ‘sapinhos’, que dificultam a ingestão alimentar.

A quimioterapia também altera o paladar dos pacientes. Os alimentos têm um gosto diferente, aumentando a dificuldade para se alimentar – às vezes, só o cheiro da comida já incomoda, explica a médica Giovanna Steffenello, da equipe de Hematologia do hospital.

O aposentado Carlos Alberto Martins também sente que sua recuperação melhorou quando passou a consumir o sorvete. “Então com sorvetinho ficou tudo de bom. A recuperação é melhor ainda.”

Saboroso e eficiente no combate aos efeitos da quimioterapia, o sorvete serve para adocicar um pouco o processo de tratamento dos pacientes, que já é tão amargo.

Falando em sobremesas, sabe quem adora sorvetinhos? Se você pensou nas crianças do GRAACC você acertou!! Que tal adoçar a vida delas clicando aqui? Doe! Ajude a salvar vidas!